segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Anjo da guarda 10112008

Hoje, depois do almoço, adormeci-te no meu colo e deitei-te na tua cama. Encostei a porta do teu quarto e fiquei por perto e fazer qualquer coisa pela casa. Ouvi-te conversar. Pensei para mim: não vou lá que é pior, ainda desperta, pode ser que fique. Mas depois... não sei o que me deu, mas achei que devia voltar ao pé de ti. Cheguei ao teu quarto e estavas quieta, embora na conversa. As grades da cama não estavam para cima... Não sei se foi o teu ou o meu anjo da guarda... Só sei que, felizmente, decidi entrar no teu quarto de novo. Depois de ver as grades em baixo e de me recompor do calafrio que me percorreu o corpo, voltei a pegar-te ao colo, a encostar-te a mim. Voltaste a fechar os olhos, respirar pesadamente e deitei-te de novo na cama. Ficaste a domir...

3 comentários:

bepa disse...

:-) Acredito que todos nós temos um anjo da guarda! Mas à medida que crescemos vamos esquecendo dele e vamos deixando de sentir a sua presença. Bjs

Filipa Ricardo & Margarida disse...

Eu não esqueço o meu :-) E agora o dela, eheh. Beijos

cristina disse...

Invejo-te...