sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

19 weeks pregnant

Congratulations! You've hit the halfway mark in your pregnancy. You'll start growing even more rapidly in the weeks to come, so don't be surprised if you find yourself slowing down. If you feel the urge to indulge in an afternoon nap, go for it, if you can - you and your baby deserve it. Her hearing is developing, and she'll be getting used to the sound of your voice. Tiny teeth are also forming in her gums.

18 weeks pregnant

Your baby is twice as big as he was last month but he still weighs only about 190g. Meanwhile, most of the weight you've gained is from amniotic fluid, placenta, and water retention. Although things may seem calm on the surface, your little one is kicking, flexing, reaching, rolling, and even sucking his thumb now. If you haven't felt him move yet, you will in the next few weeks. His hearing is now functioning and he will be listening to your heartbeat.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

3 years old, first month

Congratulations — your little one is now three! More fun is in store for you now that she's no longer a baby. She's probably already holding her own in conversations, running and jumping like an athlete and she will soon write her full name. She's developing more sophisticated social skills and knows how to take turns or join in with others. Before you know it, she'll be cracking jokes, (usually the same joke several times a day for days on end), remembering entire songs and even reading. Although she'll soon be saying goodbye to toddlerhood, rest assured that life won't be boring with her around.
Saber e cantar músicas inteiras, isso já é facto assente há muito!

sábado, 18 de dezembro de 2010

17 weeks pregnant

You may be gaining weight rapidly at this point, even if you're not eating much. Experts say that the amount of weight you put on during pregnancy is dictated primarily by your genes, so don't necessarily blame yourself if the weight's accumulating faster than you'd like. Your baby's movements are felt as a gentle, fluttering sensation at first, but get stronger and more obvious as time passes. Some babies kick vigorously and often, others are quieter. And many seem most active at night!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Parece que estamos no bom caminho…


Tia S.: Então Margarida já sabes o que é que está na barriga da mamã?
Tu: Sim, é a Maria. Mas eu também vou ter um mano.
Tia S.: Ai é… Mas onde é que está o teu mano?
Tu: Tá dentro da barri... olha, ainda vai demorar muito tempo.

O meu avô

Em casa do avô J. passaste por uma moldura pela qual passas muitas vezes. Pela primeira vez, reparaste nela. Deste um passo atrás, apontaste o dedo e com um ar muito feliz exclamaste:
- É o avô! O avô é polícia!
(Ahahahah)
Ao que o avô sorriu genuinamente e respondeu:
- Mais ou menos, sou militar.

Maria quê?

Então é assim: vai chamar-se Maria. Ponto. Somente, simplesmente, apenas. Esta semana foram três as pessoas que, com ar curioso, de sorriso ao canto da boca e expectantes me disseram: ah, vai ser a Maria! Aaaa, Maria quê?! Maria. Ok? :-) 

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Esta noite...


Eu: Quando é que pedes desculpa à mamã pelo que fizeste?
Tu: A semana passada.
Eu: Isso foi ontem Margarida, já passou...
Tu: Peço no Verão.
Eu: O Verão ainda vai demorar muito a chegar...
Tu: Então peço agora. Desculpa mamã.
Eu: Estás desculpada.

Esta tarde...

Eu: Margarida já disseste à avó que vais ter uma mana... que não é um mano?
Tu: Mas é um menino... Mas eu queria um Tony...
Eu: Eu sei querida, mas não te preocupes, pode ser que daqui a mais tempo tenhas um mano, nunca se sabe. Nós não podemos escolher, é o que calha.
Tu: Mamã, quando eu tiver um bebé na minha barriga vai ser um menino, vai ser o Tony.

Eu: Está bem filha, parece-me bem. Daqui a muito, muito, muito, muito tempo, ok? 

...

E porque este blogue não fala de coisas tristes nem quer lembrar angústias mas, como os momentos de aperto existem inevitavelmente nas nossas vidas, sobretudo depois de ser ter o primeiro filho, fica apenas esta frase de Fernando Pessoa que pode reflectir um cantinho do que senti desde o final de tarde desta segunda-feira, até ontem à hora de almoço.
O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis, e pessoas incomparáveis.
Agora, é respirar fundo e sentir que, com fé ou sem ela, fui tocada por uma estrelinha da sorte ou um Anjo da Guarda, quiçá

O meu pai é o meu Príncipe…

… encantado. É a ele que te lembras ultimamente e (vá lá) de vez em quando, de tentar abraçar e espetar rechonchudos beijos na boca, à semelhança das princesas e príncipes da TV… e esta hein?!! O papá fica aflito, afasta-se, ri-se e tenta explicar-te que isso…. Bom, isso só nos filmes! Ahahahahah.

Reunião de Pais


Gostámos. Ficámos a saber o que tens aprendido, quais os objectivos. Realizámos que como tu, há mais três coleguinhas que fazem anos em Novembro e uns dois em Janeiro, o que significa que há 4 a fazer 3 anos e no mês que vêm alguns já fazem 4 anos. Ainda assim a Educ.ª R. disse que tinha uma turma muito equilibrada, de meninos muito “desenvencilhados”. Percebemos a tua evolução em casa: é notória ao nível da linguagem e das tarefas diárias (desde comer sozinha, a vestir e despir, a ir à casa de banho…), mas ela ainda nos elucidou mais. Gostámos. Confesso que me senti da tua idade. À parte das cadeirinhas em que nos sentámos (as vossas) serem de facto minúsculas, a verdade é que viajei no tempo. Achei que ía ser daquelas mães sempre de dedo esticado, mas não… senti-me pequenina, como tu. Lembrei-me de quando tinha a tua idade. Tive vontade de vasculhar cada cantinho da sala, escrever com canetas e pintar com aguarelas, brincar aos fantoches… Será normal? Acho que me senti tão pequenina como tu te deves ter sentido nos primeiros dias, no meio de todos aqueles outros pais… tão adultos. Enfim, a verdade é que de facto também não tive grandes dúvidas e nada a perguntar ou acrescentar. No final, depois de alguns pais já terem saído, ficámos (é inevitável) alguns de volta da tua Educ. ª. Enquanto riamos entre ouvir alguma cena ou histórias que a R. nos cedeu vossas e algumas queixas nossas do vosso comportamento em casa, achei que era altura de brilhar… Brilharmos as duas, por assim dizer. Saí-me então com esta: … mas oh R., de facto a Margarida em casa anda numa fase terrível, de extravasar limites, querer impor-se e fazer birras de meia-noite, mas eu calculo que ela consigo seja diferente, aqui, lhe tenha respeito… ela aqui porta-se bem não é? É indescritível a minha cara depois de finalizar esta frase e ao ouvir um sorridente “Às vezes…” como resposta…

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Saídas, das tuas...


Nos últimos dias tens pintado muito. Nada fora do normal cá por casa, não fosse agora teres passado dos lápis e canetas ao pincel e aguadelas!
- Mamã estou a fazer este trabalho de pinturas. Está a ficar muito bonito. Este é para o pai e depois vou fazer um para ti e outro para a avó M. e outro para o avô F. e depois outras pinturas para meninos de outras escolas. Vou, vou mamã.

Tu: A minha amiga é M. Portez.
Eu: Cortez filha, Cortez.
Tu: Portez.
Eu: Cortez. É como correio. Tenta lá.
Tu: Porreio. Portez.
Eu: Lol! Cortez!
Tu: Mamã Portez! É em inglês.

- Sabes avó, eu já vivo na escola dos crescidos.

- Olha mamã, as luzes estão a bilhar poque está a ficar escurinho...

Tu: Eu não faço cocó nas cuecas poque isso é coisa de bebé!
Eu: E tu já não és bebé?
Tu: Não. Eu já não sou bebé.... Mas uso chucha...
Ah pois é...

- Papá, tu não me incompreendes...

Brincávamos às escondidas cá em casa. Ora se escondia um, ora outro. Às tantas dizes:
Tu: Agora vou eu, tu e a mamã esconder!
Papá: Então e quem é que nos procura?
Tu: Ah... não sei...

Eu: Olha aqui a foto que a médica tirou ao bebé que está na barriga da mamã.
Tu: Mamã isso não é nenhum bebé.
Eu: É sim querida. A cabeça, a barriga, o nariz...
Tu: Mamã isso não é um bebé, é um micóbio!
(Ãh???)

De manhã é frequente lembrares-te sempre dum boneco que queres levar para o Colégio. Muitas vezes acaba por ficar no carro, mas já nem vale a pena dizer que não, caso contrário, são mais dez ou quinze minutos para saíres de casa. O pai lembrou-se de se antecipar:
Papá: Queres levar esse boneco?
Tu: Pai, não posso levar o meu boneco! Está a chover e ele molha-se!
Ai desculpe sim...

Eu: Margarida como é que se pede?
Tu: Se faz favor.
Eu: Ah, assim está melhor.
Tu: Mamã?
Eu: Sim.
Tu: Ando muito esquecida do se faz favor...
Ah pronto, isso perdoa tudo! Lol!

Tu: Mamã ficas tão gira com esse vestido! É cor-de-rosa!
Eu: Obrigada Margarida.
Tu: Vamos as duas de pincesas, de vestido!

Afinal quem é o bebé?

Agora já tivemos a confirmação e, daqui em diante, começa todo um processo de convencimento, para que quando a Maria nascer, estejas ciente (e contente) de que partilharás brinquedos com uma mana, tanto como poderás brincar com ela a tudo o que gostas. Contudo, até à data tem sido hilariante não só a forma descontraída com encaras a vinda de um bebé (ou o crescimento da barriga da mamã), mas sobretudo, a certeza com que afirmas as coisas e as partilhas com os outros. Antes de eu engravidar e nos primeiros dois meses e meio de gravidez, estavas certa que querias e irias ter uma mana. Os nomes variavam: desde Dartacão (!!!), a Inês (o nome mais escolhido por ti), até ao nome das tuas amiguinhas da aula M. Pereira e L. Baptista (com apelido!). Passada essa fase e, tendo em conta que o teu primeiro amigo (e talvez dos mais fortes) se chama Jóta, andaste uma semana a chamar Jóta à criança. Todavia, no último mês, apenas um nome surge sempre que te questionam, a par de uma certeza absoluta de que vais ter um mano. De tal modo que ontem ouvia-te a falares com o pai: aquele xarope cô de laranja é para mim e para o meu mano, quando tivermos febre! Há uns tempos enquanto te lia uma história à noite perguntaste-me quem é mamã? – apontando para a minha barriga. Respondi que ainda não sabia, talvez fosse uma menina, talvez um menino. Respondeste-me: eu sei mamã, não te preocupes, é o Tony! Tony??? Pois é. Parece que uma das tuas últimas amizades/afinidades se chama António G. Desde então (e seguramente já vamos para mais de um mês) que estás certa de que vais ter um mano e mais, que este se chamará António, a.k.a., Tony! Eu até gosto do nome, mas... bom, vem aí uma menina. A ver como nos vamos sair para te explicar e convencer disso... 

Vai nascer uma estrela

E que personagem mais apropriado senão o de uma estrela? É certo que não serás (ainda) uma estrela da música, da arte ou do teatro, mas cheira-me a prenúncio... Este Natal, e para estreia nas peças do Colégio, serás uma estrelinha (do presépio). Para os papás a agradável e esperada tarefa de fazer... um fato de estrela! A sorte (tua) é que a minha melhor amiga é Educadora de Infância J O fato está quase pronto. A câmara de filmar está pedida para ser emprestada por um dia e estamos todos – cá por casa – ansiosos para ver como te sais e todos os teus coleguinhas. 

Fase tonta

Entrámos numa das fases que considero das maiiiiiis tontas! A fase dos xixis e dos cocós! Ai! Enfim. Agora é comum sermos um pivete, parecermos um cheirete, termos um cocó! E depois ris-te com vontade, durante minutos sem fim... 

Religião

A época Natalícia foi o mote para a inicialização da Religião (não direi aulas, mas de uma abordagem) junto dos mais pequeninos lá no Colégio. É raro contares-nos alguma coisa do que fazes durante o dia. Quando perguntamos, por vezes obtemos alguma resposta, mas nunca relativa a algo que seja novo na vossa rotina. Soubemos desta introdução pela reunião de pais de há cerca de semana e meia. Contudo, no final da semana passada pudemos comprovar. Até esse dia, quando te perguntávamos o que gostavas que o Pai Natal te trouxesse de presente, respondias prontamente: “a Barbie, o Ken, o Faísca McQueen, o jogo das caras” (da Disney). Sexta-feira passada, perante a mesma questão, a tua resposta foi: “a Barbie, o Ken, o Faísca McQueen, o jogo das caras e um livro do Menino Jesus”.
Eu: O Pai Natal vai dar-te isso tudo e ainda um livro sobre o Menino Jesus?
Tu: Sim, vai.
Eu: Não sabia...
Tu: Vai. Eu já porto-me bem.
Eu: Ai que bom.
Tu: Sim e sou amiga do Menino Jesus!
Eu: Muito bem filha.
E acrescentas num tom mais sério:
Tu: Mas não vou partilhar!!!

Ahahahahahah! Aí sim, tivemos a certeza. Não só que já vão falando sobre Jesus, como que tens estado atenta e a filtrar, à tua maneira e no que te mais convém... 

Recomeço

Recomeçaste finalmente as aulas de Inglês. Desde que comecei a trabalhar (tinhas tu um ano) que se tornou complicado continuares a frequentar as aulas devido aos horários disponíveis durante a semana. Assim que houvesse horário ao fim-de-semana, ficou prometido que recomeçarias. Este sábado será a segunda aula. A diferença é que a rapidez com que apreendes e repetes agora é totalmente diferente. Muitíssimo mais rápida, melhor e muuuuuuito divertida!

Obras de Arte (as tuas Obras de Arte)

É o que achamos verdadeiramente. Até porque, primeiro, somo pais, segundo, penduraríamos estes trabalhos em quase qualquer lugar da casa, o que significa que, de facto, os achamos verdadeiras relíquias!!! :-) Aqui ficam os trabalhos que foram sendo expostos à porta da tua sala. Talvez nos tenha escapado algum (e muitos estão ainda por ser fotografados e por fazer), mas dá para termos uma ideia de como andas ocupada e sobretudo, como tens uma fantástica veia artística!!! Ehehe. 









Filme do mês de Dezembro

Como não podia deixar de ser, este mês têm reinado os contos de Natal. A Disney continua no topo das preferências. Até eu gosto de ver. 

Festa de anos

Este ano que o teu dia de anos calha a uma segunda-feira, que depois disso se segue um fds de Natal e depois um outro de final/início de ano, ponderámos por escassos segundos não fazer a festa de anos do costume. Os segundos foram-no porque este ano, desde mesmo antes de termos árvore de Natal em casa que falas no Natal e nos teus anos. Em como vais fazer três anos, em como vais ter festa, bolo, balões e em como vais convidar este e este e aquele e o outro para a tua festa... Habemus festa então.

No mercy

Há cerca de mês e meio a avó M. chegou ao colégio (para te ir buscar) 5 minutos depois da hora. Foi a primeira e única vez que se atrasou. E então??!! Perguntarias tu. Atrasou-se e ponto final, deve ter sido o que pensaste. Viste-a no recreio à tua procura. Olhaste para ela. Deixaste que te visse. Ficaste imóvel. Encostada ao muro. Baixaste a cabeça. A avó começou a encaminhar-se para ti. Não percebia porque é que não corrias para ela de braços abertos como de costume. Nem um passo. Olhavas por cima, mas sempre de cabeça baixa e amuada. A avó chegou ao pé de ti: Margarida a avó está aqui. Não dizes nada? Silêncio. Não dás um beijinho à avó? Silêncio. O que é que se passa? Silêncio. Bem, se não queres falar com a avó, a avó vai-se embora. Silêncio. Levantaste a cabeça. Deste uns passos. Ainda de cara amarrada olhaste para a avó e disseste apenas: Falamos nas conchas. Pelo caminho lá foste desemburrando e explicaste à avó que estavas muito zangada com ela, pois ela tinha chegado atrasada...

Preparar terreno

Os preparativos para termos em casa o nosso pinheiro de Natal começaram pelo essencial: comprar um pinheiro. Como o Natal nunca foi em nossa casa, tínhamos uma pequena e sóbria árvore de Natal feita de luzes brancas e alguns bibelots natalícios. Assim, entrámos numa grande e conhecida loja de bricolage e trouxemos um pinheiro, bolas, estrelas, bonecos de neve, e luzes. Enquanto escolhíamos os enfeites, pedíamos a tua opinião. Notámos que te zangavas quando eu mencionava uns quaisquer pais Natal que eu achava que podíamos pendurar na árvore...


Tu: Mamã não é esse, eu quero um Pai Natal mas gande!
Eu: Ah, ok grande. Mas filha grande não dá para pendurar.
Tu: Não! Mamã, eu quero ver um gande, poque eu quero falar com ele.


Então fez-se luz... Como te dissemos algumas vezes que, com birras ou maus comportamentos o Pai Natal era capaz de não passar cá por casa… reflectiste sobre o assunto e achaste por bem ter um tête-à-tête com ele… Vá uma conversinha pessoal não fosse ele não estar ainda convencido que mereces os presentes que enumeraste. Ahahah. Fartámo-nos de rir. De facto, és cá uma peça filha... :-)

Maria

Minha querida Margarida: não obstante ultimamente só falares num mano (e já lá vai um mês, creio que é sério) temos que dizer-te que virá uma mana! Sei que vai ser o melhor que te aconteceu, mas percebo que neste momento possas ficar desapontada, dado que andas numa onda de rapazes, eheh. Confirmámos hoje: é uma menina, como tu. Vai chamar-se Maria. Temos esperança que até ao final de Maio, fiques fã das manas. Estou certa que sim. Escusado será dizer que eu fiquei r-a-d-i-a-n-t-e. :-)

16 weeks pregnant


Your baby's about the size of an avocado now but in the next three weeks, he'll go through a tremendous growth spurt doubling his weight and increasing his length. In the meantime, he'll be playing with his umbilical cord and practising breathing. You're going through a bit of a growth spurt yourself. Your uterus has expanded so much that the ligaments in your abdomen are stretching to make room for it. If you feel any twinges of pain now, that's why.
Your baby is about the size of a pear this week. Some of the more advanced body systems are working now, including his circulation and urinary tract. Your baby may be playing with the umbilical cord too. You've probably gained at least 2.2kg/5lb by now, maybe as much as 4.5 kg/10 lb. Your uterus is growing and you might feel pangs caused by the ligaments stretching in your abdomen. These pains are usually temporary but your growing uterus will put extra strain on your back. 

sábado, 27 de novembro de 2010

14 weeks pregnant


Your baby is now growing his first hairs. Whether they're jet black, cocoa brown, golden blonde or fiery red, curly or straight, will remain a secret until the day he's born. Of course, family genes offer some clues, but many parents have been surprised at delivery. Fine body hair called lanugo, which usually disappears later in pregnancy, blankets his body now, too. Your own hair may also be more lustrous. Many women say that thicker, fuller hair is one of the nicest perks of pregnancy. Enjoy it while you can.

35 month old


In the coming months your child will start showing more interest in the differences between girls and boys. If you catch him in the midst of playing doctor with the little girl next door, try not to react with shock or embarrassment. Just tell the children that penises and vaginas are kept private and steer them towards another activity. They'll probably be relieved, since some experts say small children already have some sense that peeking under each other's clothes is taboo.

13 weeks pregnant

If you could hold your baby's hand this week, you'd notice the swirling lines that make up his unique fingerprints. You'd also see the veins and vital organs beneath his tissue-thin skin. He's growing... Are your long-lost energy and sex drive making a comeback? If so, you may soon find out why many women call this the honeymoon trimester. For other women, the discomforts last a while longer yet. Every pregnancy is individual — even women who have been pregnant before find that the second or third are different.
Digamos que se não fosse a virose já tinha deixado os nausefs...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Saídas


Entrei na sala e ouvi-te, de comando na mão:
- Vou baixar isto que me dói a cabeça…

Sobre a árvore de Natal:
- Mamã o meu pinheirinho vai ter luzes verdes, e anjos, e pai Natal, e bolas, e luzes verdes, e guinaldas, e luzes, e estrelas e luzes verdes. E azuis…

Com a revista da Imaginarium na mão, apontaste e disseste muito séria:
Tu: Mamã?
Eu: Sim.
Tu: Sabias que o Pai Natal me vai dar este fogão?
Eu: Ai vai?
Tu: Sim vai.
Eu: Ah...
Tu: E vai-me dar um carro.
Eu: Qual carro?
Tu: O do Pai Natal!
Eu: O trenó??
Tu: Sim!!!

Conversas de barriga...


Tu: Mamã quem é que está aí?
Eu: Não sei querida, ainda não te sei dizer.
Tu: Mamã eu sei!
Eu: Ai sim?...
Tu: Sim. É a Joana.
E depois de uma resposta convincente e despreocupada, continuaste a ver o livro que estavas a ver.
Uns dias depois alguém te perguntou:
Tu: Queres uma mana ou um mano?
Tu: Um mano. É o Toni.
Eu: Como???
Tu:  Sim, é o António!

Tens desejado 90% das vezes que seja uma menina. O nome que mais vezes avanças é Inês. Também já quiseste Leonor, Matilde, Madalena ou mesmo Leonor Baptista! Lol! Tens dias em que nos dizes que (afinal) preferias um mano, que já foi Pedro, Manel, António, Jóta ou Jorge, etc. Enfim meu amor, é o que é, desde que seja perfeitinho!

Ontem:
Tu: Tão quido! O bebé... na tua barriga... Bú! Assustou-se?
Eu: Ahahah, acho que sim...
Tu: Bú! (e rias)
Tu: Eu sai da tua barriga e depois o bebé também vai sair, pois é?
Eu: É isso mesmo, mas ainda falta muito tempo.
Tu: Sim...
Eu: Onde é que achas que ele depois pode dormir?
Tu: Na tua cama e do pai.
Eu: Mas a cama da mãe e do pai é só para nós...
Tu: Na minha! Dorme na minha!
Eu: E cabem lá os dois?
Tu: Sim! O bebé é pequenino!
Eu: E emprestas-lhe as tuas coisinhas, os teus brinquedos?
Tu: Sim, sim! E binco com ele!!!
Óptimo filha...

12 weeks pregnant

Welcome to your second trimester! Your raging hormones could be calming down a bit and you may also notice your nausea tapering off. Most women happily wave goodbye to morning sickness around now (although queasiness can return periodically throughout pregnancy). This week, your baby's face looks much more human. Her eyes have moved closer together and her ears are just about where they should be. Your baby has entered what is known as the fetal period, when tissues and organs rapidly grow and mature. Many women enjoy pregnancy much more in this trimester — early symptoms fade and the risk of miscarriage drops dramatically. We hope this is the way it turns out for you, and we're here to support you through all the ups and downs of the weeks to come.


Antes & Depois

Quem te viu...

E quem te vê...

Não é que tenhas deixado de trepar árvores, aparecer com as canelas cheias de nódoas negras, negligenciado uma boa corrida, esquecido as redes, baloiços e cambalhotas nos sofás ou mesmo a traquinice, mas ultimamente não pedes para pôr um gancho (o que já era uma vitória!), mas sim, dois, três ou quatro. E como se não bastasse, ainda vais buscar os óculos de sol cor-de-rosa. E perguntas tu: tanto aparato para??? Ir para o Colégio. Logo de manhãzinha... Ahahahah!

Filme do mês de Novembro


Barbie  e as três Mosqueteiras...

Hoje

Hoje foi um dia cinzento. Desejei por momentos que todos fossemos imortais. Desejei por segundos nunca me apegar. Agradeci teres apenas dois anos e não sentires o que senti hoje. O que sinto. 

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

S. Martinho

Estava desejosa que começássemos a ver as tuas obras de arte! Sempre que vamos ao Colégio podemos apreciar os teus desenhos, recortes e colagens. Enfim, os teus trabalhos. Dá-me ideia que são, no mínimo, dois ou três por semana. Fica a promessa de deixar aqui algumas imagens deles. Mas aquilo a que me refiro são as obras de arte que nos trarias. Esta coroa foi a primeira. Amei! Está linda filha, linda! Venham mais!

Primeiríssimos


Somos – calculo – a primeira família em Portugal (senão até mais além) a ter, dia 15 de Novembro, Pinheiro de Natal super equipado, reluzente e musical em casa.
Confesso que a mim fez-me bem. Estava a precisar (e estou) de Natal, de luzes, de calor humano, de ruas cheias de gente, de compras, de coisas novas, de receber amigos, de partilha, de espírito e acção natalícios, de… enfim, do que se avizinha. Falas tanto no Natal, nos teus anos, em como queres enfeitar tu o pinheiro, com estrelas, bolas, anjos, luzes e guinaldas, que enfim, pensámos porque não? Et voilá! Aqui está ela na nossa sala. De manhã a primeira coisa que fazes é ligar as luzes e a música. Fixas muito tempo nela o teu olhar, num misto de orgulho, inspiração, felicidade e ansiedade. O único problema que tivemos, foi estares convencida que, uma vez feita a árvore de Natal, o próprio do Natal chegaria... Parece que o papá te disse que as árvores em casa orientam o Pai Natal: ele sabe onde deve deixar os presentes... Conclusão? Assim que a acabámos de enfeitar o pinheirinho perguntaste-me: o Pai Natal vem hoje à noite mamã? Bom, ainda terás de esperar... :-) 

Partilhar

Não é necessariamente mau, aliás, muito pelo contrário. Contudo eu sei que não vais achá-lo sempre. Não vais achar sempre positiva a partilha. E com toda a legitimidade, na verdade. Porque há-de alguém achar espectacular partilhar pais, brinquedos, espaço, tempo...? De facto. Mas é mesmo assim. Às vezes vai ser duro; às vezes vai ser indolor; às vezes vais desejar que assim não tivesse de ser; às vezes vai sentir que foi o melhor do Mundo! Acredita, se pudéssemos pôr numa balança, quase bateria no chão o lado positivo. Desta partilha. Ainda não se nota. Ainda nada notas. Começa hoje, neste blogue. Vai ser a primeira coisa que partilham (se exceptuarmos a barriga da mamã, que já foi só tua, agora é só dele, do bebé). Este blogue. De outro modo não faria sentido. O meu tesouro és tu, são vocês. Não duvides nunca: se eras importante e amada por nós, de agora em diante és ainda mais. 

3


Todos os dias de manhã fazes três perguntas: 
- Hoje há ginástica?
- À tarde a avó vai-me buscar, não é?
- Ninguém fica lá (no Colégio) pois não?
...

As letras...

A ida para o Colégio não despoletou o interesse. Esse era já enorme da tua parte. Creio no entanto, que ajudou a concretizar. É ultimamente muito frequente pedires ao pai para te sentares ao computador a escrever. Poxo escrever letas e números, poxo?! E lá ficas toda contente, entretida. Já sabes imensas letras e quase todos os números e nota-se que tens gosto em aprender. 

U2

Desde o primeiro dia em que nasceste, ou melhor, desde a primeira vez em que tivemos oportunidade (na verdade forçada) para sairmos de casa os dois deixando-te com alguém, só para espairecermos, jantarmos os dois, bebermos um copo… desde a primeiríssima vez que o meu coração se apertou. É um sentimento de culpa inexplicável. Estás bem, ficas bem, não é por uma hora ou duas que vais um dia achar que os teus pais não te acompanharam, mas… é mais forte que eu. O mais engraçado é que quase três anos depois o sentimento é o mesmo. A facilidade com que aceito que tenho um jantar ao qual não podes ir é outra, mas o sentimento de culpa é o mesmo. O mais frustrante, acontece quando saímos, vamos, temos um jantar, vamos ver um filme e no final concluímos que nem valeu a pena! Bem, aí é demais. Fico furiosa. Tu divertiste-te, nem perguntaste por nós, mas eu sinto-me a pior mãe do Mundo. A bem da verdade até é muito pouco frequente. Sempre que podemos estar com amigos em casa em vez de fora é isso que fazemos. Assim, estás sempre presente e adoras. É bom para todos. A mim deixa-me feliz, calma, sem remorsos. Foi com este sentimento que dia 2 de Outubro, fui até Coimbra. Eu queria mesmo, mesmo ir, mas ao mesmo tempo… Tenho a dizer que assistir a um concerto destes, e do meu grupo favorito foi o que custou para, pela primeira vez, sentir que valeu a pena. É que valeu mesmo ver os U2. Até começar ainda pensei, quase um dia inteiro sem ti, só te iríamos buscar no dia seguinte… e dez minutos de concerto e eu já estava convencida de que tinha sido a melhor opção. Gostei tanto que não me senti tão culpada :-). 

Filme do mês de Outubro

domingo, 7 de novembro de 2010

Agora é assim

As duas primeiras semanas de Colégio foram um pouco dolorosas, chorosas e cheias de emoções, sobretudo nas manhãs. Não querias ir, embora tenhas começado a deixar de o frisar todas as manhãs. Nos últimos dias já se notava conformismo e resignação. O feedback era, apesar de tudo, muito bom. Depois do pai te deixar, de sair deixando-te a chorar ou já nos braços da G. (para os quais ias e vais mais ainda agora de muito bom grado), ficavas bem. Brincavas, interagias, empenhavas-te. Perguntavas por nós à hora de almoço, da sesta e ao final da tarde, mesmo antes da hora de acabar a aula – saudades... Para a terceira semana estava em pânico. Além do feriado numa terça, ficaste em casa também segunda e quarta-feiras doente. Pensei que na quinta seria o desastre. Enganei-me. Ainda disseste ao pai, em tom de aviso, que ias chorar. Choramingaste, mas depressa te esqueceste do porquê das lágrimas. Já tinhas era saudades e notou-se o quanto o Colégio, Educadora, Auxiliar e amigos te tinham conquistado. Foste lindamente. Foste e vais feliz. Desde então que tem sido assim. Gostas de ir, raramente te importas. A avó não pode é atrasar-se a ir buscar-te. Ficas zangada... J Só temos ouvido elogios. Como és independente, interessada, participativa, amiga, empenhada, meiga, bem disposta... Demonstras-te sempre pronta para qualquer actividade. Como queres sempre fazer tudo sozinha, inclusive a higiene e ir à casa de banho. A verdade é que de facto logo nas três primeiras semanas notámos uma enorme diferença nas pequenas tarefas, como vestir e despir, ir à casa de banho, comer sozinha, arrumar os brinquedos, etc. Já o fazias tudo, a diferença são a destreza e a vontade com que o fazes agora. Agora, de manhã ao chegares, corres para os braços da G. ou da R. e já não choras nesse processo de “transição de colo”. A única coisa que nos tem preocupado, foi começares a fazer uns xixis nas sestas. Creio que começou na quinta semana de escola. A ideia que dá é que passaste a beber mais água e a dormir muito ferrada, dois factores propícios a descuido. A semana passada levaram-te sempre à casa de banho já depois de adormeceres (aliás, meia a dormir), regressando tu à caminha sem percalços. Resultou. Agora cremos que é uma questão de hábitos, rotina. A verdade é que em casa nunca acontece. Agora é assim. Esta nova vida faz-te feliz, e nós estamos radiantes. 

O João Pestana


O papá disse-te uma destas noites. Foi o suficiente. Tal como acreditas em fadas, no Pai Natal, no sorriso da Lua e na vida das estrelas, também já sabes quem é o famoso João Pestana. É isso, um duende, do tamanho das fadas, que se senta em cima dos nossos olhinhos para nos ajudar a adormecer...

Fantasia



Tu: Mamã eu acredito que as fadas existem e tu, acreditas em fadas?
Eu: Claro que sim.
Tu: Se acreditarmos elas ficam boas e fortes, não é?
Eu: É pois.
Tu: Papá, tu também acreditas não é? Não é?!
Papá: Claro... 

Mochil-inha

Adoras. Procurámos uma da pata Margarida, mas à falta dessa, encantaste-te por esta e leva-la para o Colégio pela mão desde o 2.º dia. Além de ter a Minnie e ser vermelha, é uma boneca cujo nome começa também por M. Além disso tem uma maneira encantadora de combinar com o teu tamanho quando a levas pela mão e uma cor que combina com a tua personalidade forte. J Boa escolha filha. 

Faz de conta

As nossas conversas são o máximo! E não me refiro apenas às conversas ditas “normais”. As do faz de conta são deliciosas. Começaste por altura do Verão a insistir mais nestas brincadeiras: - olá, como está? Bom dia, como se chama? Inês? Ah, eu sou a Mafalda. E os seus filhos como estão? Bem, um está é com febre, mas já está a passar... Enfim, conversas de circunstância, sobre a escolha, os filhos, e sempre com um nome escolhido para o momento, seja o teu, seja o dos teus filhos... Demais.