domingo, 22 de maio de 2011

Ficamos assim, levezinhos


Hoje no nosso passeio a pé ao final da tarde:
Tu: Estas folhas estão a nascer. São novas.
Eu: É isso mesmo, estamos na Primavera e nascem novas folhas nas árvores.
Tu: E já caíram umas e estas são novas.
Eu: Caíram. Foi no Outono. Agora é Primavera. Depois vem o Verão.
Tu: Que é quando nós usamos pantufas.
Eu: Não filha, isso é no Inverno. O Verão é quando está calor e vamos à praia.
Tu: Ah pois é, já me esquecia...
Eu: No Inverno está frio e chega o Natal.
Tu: O avô F. disfarçou-se de Pai Natal.
Eu: Tens a certeza que o senhor que viste não era mesmo o Pai Natal?
Tu: Não mãe... Era o avô F., disfarçado. O Pai Natal vem quando nós estamos a dormir. E eu não o vi. Estava a dormir! E quando acordei tinha muitos presentes para mim na árvore.
Eu: Pois foi. Tiveste muitos presentes. Havia presentes para todos na árvore.
Tu: Mas tu tinhas poucos, eu tive muitos!
Eu: Pois foi, tens razão. Que sorte.
Tu: E sabes mãe, eu estou a ficar levezinha, estou quase a morrer.
Eu: Espera, o quê?! Repete lá. A mãe não percebeu o que disseste.
Tu: Eu estou a ficar levezinha, devo estar quase a morrer.
Eu: Não estás nada! Porque é que...
Tu: Quando nós morremos vamos para o Céu. Ficamos levezinhos e vamos para o Céu (e foste levantando o bracinho e apontaste para o Céu sorridente), vamos para ao pé da mãe do Jesus.
Eu: Ah, já percebi. Mas sabes, normalmente as pessoas morrem quando já estão muito velhinhas. Tu és muito pequenina ainda, ainda te falta crescer e viver muito para morrer. És leve porque és pequena, mas estás cada vez mais pesada...
Tu: Pois é. O Lago é que já morreu. Estava velhinho... e levezinho.
Eu: Pois estava, o Lago estava velhinho.
Tu: E a mãe do pai também está morra.
Eu: Morta.
Tu: Morta, sim.
Eu: Estava muito doente...
Tu: Então se eu for velhinha ou doente...
Eu: Não basta ficar doente. Tem de ser uma doença muito, muito grande, mesmo grande.
Tu: Pois e ela tava e ficou levezinha e foi para o Céu.
Eu: Foi isso.
Tu: E o pai do Jesus está lá no Céu, para nos poteger.
Eu: Verdade... Foi o Pde. A. que vos ensinou isso, foi?
Tu: Foi. O Pde. A. é bonzinho, mas às vezes põe os meninos de castigo.
Eu: Se calhar isso acontece quando os meninos se portam mal...
Tu: Sim, ele põe de castigo quando os meninos se portam mal na aula.
Eu: Pois, faz sentido.

Um comentário:

SANTOS DA CASA disse...

É por isso que as crianças são puras, dizem o que lhes vai no coração e assim estão mais próximas de Deus. Obrigada G e F por esta partilha. Beijinho Tia Susana