segunda-feira, 7 de julho de 2008

Foi mais ou menos isto...

Mamã: Não te esqueças que ela tem que arrotar.

Papá: Ouviste filha, depois de limpar a boca é o arroto. Arrotamos os dois. Tu dás um o pai dá outro.

(Silêncio)

Papá: Olha um macacão! “Ganda” macacão que tens aí! Oh filha se não paras quieta a gente não consegue tirar isso… Vá, vá... Olha, já saiu um bocadinho!!! Vês? Olha. Mais um bocado… Eheheheheh! Já saiu todo!!! Eheheheh. – (grande festa) Já temos os macacões todos!!!

(Silêncio)

Bom, agora vamos lá arrotar, vá lá. Daqueles grandes.

(Deixei de os ouvir. Quando voltei ao pé deles…)

Papá: Gui dá um beijinho ao pai. Oh mimocas, um beijinho.

Tu: encostas a boca à cara do pai e baba-lo bem.

Papá: Ah um beijinho! Tão bom…

E é assim a relação entre pai e filha. Até certa idade é quase o mesmo que ter um rapaz…não achas filha? J

3 comentários:

Ricardo Henriques disse...

Isto foi tudo com carinho e ternura próprios de pai para filha, como se vê pelas últimas linhas...

Filipa Ricardo & Margarida disse...

Sim, carinho e ternura estão sempre presentes! São a base da vossa relação, do vosso amor.

Anônimo disse...

Não posso deixar de dizer que achei um pouco... nojento! mas compreendo! É tal e qual como eu, o meu pai e o futebol!

Fakika